Olá! Tô eu aqui no atelier, quinta à noite, a maioria dos vestidos entregues – tudo lindo, amanhã entrego os de noiva porque gosto de passar tudo bem em cima da hora para não ter nenhum amassadinho…. Tenho 3 mães de noiva, mãe de 15 anos, noivas em Belo Horizonte e Brasília… todo mundo realizando o sonho na mesma hora e eu lá, em forma de vestido, vendo tudo!

Aí olho minha agenda e não vejo brecha! Clientes ligando e a gente sem graça pra dizer que só em fim de Setembro terei disponibilidade… olha, por isso agradeço a vocês que confiam no meu “bom” gosto e querem compartilhar comigo de momentos tão especiais!

Mudando de assunto…

Outro dia escrevi no blog sobre o preço do sonho… achei MUITO positivo, várias pessoas comentaram, me escreveram, disseram que já tinha desistido de mim e se animaram a vir… por isso estou amando esse diário, onde posso expor o que estou sentindo e informar a vocês tudo o que acontece na rotina do atelier!

Deixa-me continuar informando… bom, desde sempre minhas clientes me questionaram várias coisas. Dentre elas o que fazer com o vestido depois do casamento e porque eu não fazia aluguel. Primeiro eu explico sempre que meu trabalho é especialmente desenvolvido em cima de QUALIDADE. Não suporto saber que alguma coisinha pode dar errada. Tento cercar todos os possíveis erros e corrigi-los antes mesmo que apareçam. Além disso tem a questão da matéria prima: seda pura… coitadinha, não suporta lavagens molhadas e nem marcas de costura. Por isso o aluguel se inviabiliza, eu teria que mudar todo um esquema de criação e produção, e isso não me seduz.

Gosto mesmo é do burburinho, do aconchego, de falar nome e sobrenome, de ir à casa da cliente provar algo especial… entendem porque não funciona? Bom, mas não paro por aí. De uns tempos para cá resolvi dar uma chance para o aluguel… mas se existisse outro nome para ele eu o batizaria, porque é muuuuuito diferenciado. É o seguinte: a noiva compra o vestido. Aí arrasa na festa, cuida direitinho da cauda, e retorna com ele pro atelier. Eu analiso nos mínimos detalhes, faço uma reforma completa para que ele realmente retorne à condição inicial, e eu o disponibilizo para um segundo aluguel muito consciente por até 50% do seu valor inicial. Ou seja, desde que o tipo físico seja próximo, agente realiza. Os vestidos para segundo aluguel custam em média R$3.500,00. O preço varia do tecido, se possui renda ou Swarovski… e por aí vai.

Ah, e depois desse segundo aluguel, acabou. Hora de restaurar o vestido, colocar numa caixa envolvido em papel de seda, laço de fita e essência, e guardar para a prosperidade! Ele volta para sua dona lindo lindo. Fórmula perfeita? Não sei. Estou na fase da experiência, dando uma chance para essa modalidade, e para as noivas que compraram o vestido reaverem parte do investimento. Mas que são vestidos novos e atuais… ah isso são. E ainda tem o fato de apenas duas noivas utilizarem o mesmo vestido. Já pensou se fosse diferente? Sua amiga ver seu vestido noutra pessoa! Que situação…

Entendam que por isso minha agenda se divide a partir de agora: criação e vestidos prontos. Porque ainda tem aqueles modelos que eu fico doida para fazer e faço. Pronto, penduro no cabide e se alguém amar pode comprar.

Como eu preciso estar na fábrica também para que tudo saia perfeito, e ainda tem as viagens para pesquisa+viagens para provas fora de BH+momentos de estudo… pedi ajuda. Minha assistente está sendo treinada para me ajudar a mostrar os vestidos prontos. Eu sempre estarei por perto, na fábrica ou no atelier para a qualquer momento tirar uma dúvida, criar alguma modificação em cima do modelo original… ou mesmo criar algo novo em cima do que já foi visto. Por isso, sintam-se sempre na minha casa! Jamais perderei essa característica de atendimento personalizado, é que eu quero recebê-las rapidamente, sei que vestido é vestido… e esperar 20 dias por um atendimento é complicado.

Então agente fica combinado: pode entrar, a casa é sua.

fotos Kika Antunes

3 comentários

  • Uiara disse:

    Oi Dani,
    Você está de parabéns, pois a idéia do blog é ótima, assim suas clientes podem acompanhar diariamente as suas novidades.
    Vou fã de carteirinha do seu trabalho, entro todos os dias pra ver as novidades e matar um pouquinho da saudade.
    Te desejo todo o sucesso pois você é merecedora.
    Ano que vem é o meu casamento, pode ir pensando no modelo lindo pra mim.
    Bjim da sua eterna assistente.
    Uiara

  • Nelma Felippe disse:

    Na verdade, estou recorrendo ao seu site, onde sempre passo para ver as novidades e as belíssimas criações, para que você me socorra! Como faço para guardar adequadamente um vestido de saia plissada de seda? Tenho medo que guardando erradamente o efeito se perca… Por favor me ajude!

  • Danielle Benício disse:

    Olá Nelma! Obrigada pela visita!
    As saias plissadas normalmente são feitas no godê, se esse for seu caso, não deixe a sua pendurada no cabide para não dar pontas. Deixe a “sanfona” fechadinha, envolva em papel de seda e guarde deitada, esticada, sem dobrar.
    Um beijo,
    Danielle

Deixe seu comentário!