O casamento é único na vida de uma mulher. Que essa frase parece um jargão ninguém tem dúvida, mas entender o que esse momento representa para elas é impossível, a não ser quando se vive a experiência.


Não é de hoje que casar-se representa um monte de valores para a sociedade. Da mesma forma, expressa um amor que talvez só seja menor que o amor de uma mãe pelo filho. É o momento em que duas pessoas unem seus mundos em um só, com tudo que há neles, tanto as qualidades quanto os defeitos. Agora, imagine isso na cabeça da mulher?
 
Elas amam como ninguém e sentem aquilo que ninguém sente. Têm até aquele famoso “sentido feminino”, que percebe o que todo o resto do mundo nem de longe imaginaria existir. Não é à toa que as noivas costumam passar por quadros de extrema felicidade no casamento, assim como de extremo stress.
 
Agora, imagine ter que registrar essa imensidão de emoções e sentimentos misturados que transbordam das noivas? Nesse momento, o fotógrafo deixa de ser apenas um fotógrafo: ele se transforma em um psicólogo com uma câmera.

Tudo, absolutamente tudo, que envolve a noiva precisa ser registrado. Não somente para se tornar parte do álbum de casamento, mas porque há algumas coisas que ninguém poderia imaginar serem tão importantes para ela. Uma lágrima, um abraço, uma flor no caminho para o altar, o detalhe do vestido ou o olhar antes do beijo. O registro daquele momento não é apenas fotográfico, é emocional. No momento em que a mulher vê a foto ela se lembra de tudo que passava na cabeça dela então.

Fotografar casamentos é um trabalho de detetive e ao mesmo tempo artista. O fotógrafo deve unir o belo ao emocionante.

Deixe seu comentário!